Hiroshi Bogéa On line

Márcio Miranda inclui isenção do primeiro IPVA em seu Programa de Governo

O próprio candidato a governador Márcio Miranda entrou em contato com o empresário Reinaldo Zucatelli solicitando informações sobre a proposta de isenção do primeiro IPVA, defendida há anos pelo empresário marabaense com o endosso do Sindicato Dos Concessionários Distribuidores de Veículos Do Pará.

Os estudos mostrando a viabilidade de isenção do IPVA no emplacamento de carro zero Km., sem  prejuízos para a arrecadação estadual, foram então analisados por Mário Miranda e sua assessoria, depois de consultada a  Secretaria de Fazenda do Estado – que decidiu incluir a proposta em seu Programa de Governo.

A isenção do primeiro IPVA  no emplacamento de carro zero KM, é defendida por Reinaldo Zucatellu há mais uma década, proposta hoje defendida pelo sindicato dos concessionários.

Ouvido pelo blogueiro, Zucatelli relata que a decisão de Márcio Miranda incluir a demanda em seu Programa de Governo “mostra que o candidato tem sensibilidade às questões que envolvem o fortalecimento da economia estadual e visão para compreender a importância da isenção do tributo sem prejuízo ao erário  do Pará”.

Antes de solicitar os estudos da proposta, Márcio Miranda já havia ouvido Zucatelli em longa conversa, coo presidente da Assembleia Legislativa.

“Quando participamos de uma reunião com técnicos da SEFA para defender nossa demanda, antes tivemos uma audiência com o deputado Márcio Miranda, solicitando apoio da AL. Fizemos a ele uma exposição sobre os benefícios que a isenção do primeiro IPVA  tem gerado nos Estados onde ela é praticada (Tocantins, Matogrosso, Matogrosso do Sul e Brasília), ao mesmo tempo em que os municípios da região Sul/Sudeste do Pará perdem cerca de 10% das vendas de veículos para outros Estados. Márcio ficou sensibilizado, prometeu naquele encontro, que faria tudo para sensibilizar o governo a abraçar a causa. Hoje, ele, como candidato ao governo, nos solicita os estudos e inclui a proposta em seu Programa de Governo”, narra Zucatelli.

Reinaldo garante que a  cobrança de 2,5% do primeiro IPVA afugenta potenciais compradores de veículos para cidades onde os Estados vizinhos praticam a isenção do imposto, no primeiro emplacamento.

“O Pará perde ICMS e o recolhimento do próprio IPVA, além da arrecadação dos municípios regionais que têm direito a 50% do IPVA, deixa de entrar nos cofres públicos. Temos convicção de que a isenção do primeiro IPVA não terá prejuízos à arrecadação do Estado. Pelo contrário, todos ganharemos, porque vejo essa proposta como fonte de alavancar a comercialização de veículos e, consequentemente, o aumento de mais empregos nas concessionárias, já que está provada a venda de carros representa novas contratações”, disse Reinaldo.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *