Hiroshi Bogéa On line

Justiça do Trabalho ajuíza ação contra pecuarista por suposta prática de trabalho escravo

Nas últimas horas, o blogueiro vem sendo alvo de críticas de pessoas certamente ligadas ao pecuarista Maurício Pompeia Fraga Filho, que aparece como réu em processo ajuizado no Tribunal Regional do Trabalho da 8a. Região, acusado de prática de trabalho análogo à atividade escrava.

Não apenas em comentários enviados a este blog, mas através de mensagens espalhadas em grupos do WhatsApp, as críticas tentam desqualificar a veracidade do post publicado dias atrás dando conta do resgate de trabalhadores do citado fazendeiro, que tocavam quatro comitivas de rebanho bovino transportado de Altamira com destino a Marabá.

Na oportunidade, divulgou o blog, os trabalhadores resgatados por uma equipe móvel do TRT-8, prestavam depoimento em Altamira às autoridades.

No mesmo dia da apreensão do gado do pecuarista, este blogueiro tentou contato com Maurício Fraga.

Várias tentativas foram feitas ao seu celular, que acusava sempre estar fora da área.

O post só foi publicado depois de três dias de tentativa de contato com Maurício, sem sucesso.

Sabe-se agora que o pecuarista encontrava-se com a família viajando pela Europa, razão de seu telefone estar desativado.

Como este blogueiro jamais criou fakes em suas páginas, segue o link do processo ACP -0000744-03.2018.5.08.0103, ajuizado pela Justiça do Trabalho contra o pecuarista.

Para acessar ao conteúdo da ação, basta clicar A Q U I.

Acima, print da página do TRT-8.

——————–

Atualização às 15:02 (14/06)

 

O blogueiro faz uma correção:

Quem resgatou os trabalhadores foi o Grupo Móvel do Misitério do Trabalho (Auditores do Trabalho), e quem ajuizou a ação foi o Ministério Público do Trabalho (Procuradores do Trabalho).

A Justiça do Trabalho foi onde ação foi ajuizada, considerando que ela (Justiça do Trabalho) não tem legitimidade para processar ninguém, e sim para julgar.

Feita a correção.

 

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *