Hiroshi Bogéa On line

Iniciativa privada constrói ponte sobre Itacaiúnas

 

 

A obra está em  andamento, localizada cerca de 10 km da foz do rio Itacaiúnas.

Mais precisamente à altura do Loteamento Mirante do Vale, que fica à margem da Rodovia Transamazônica (Km 7) depois do aeroporto – sentido Itupiranga.

A ponte terá 260 metros de extensão por 12 metros de largura, com capacidade para suportar até 46 toneladas por veículo.

Segundo engenheiro da construtora responsável pelo empreendimento, que não revelou sua  identidade, o projeto está orçado em R$ 10 milhões.

O perfil da ponte seguirá formatação de arco, idêntica as pontes construídas sobre os rios Moju e Acará.

Quem está investindo no empreendimento?

Não é a prefeitura, nem os governos estadual e federal.

Muito menos a Vale.

O poster apurou na tarde desta quarta-feira, 27, investigando no próprio local da obra, que a mesma está sendo tocada por um pecuarista dono de uma fazenda denominada Santa Helena, localizada, segundo o engenheiro,  próximo  à futura ponte.

Com um detalhe: o pecuarista já teria adquirido 16 alqueires de terra na sequência do Loteamento Mirante do Vale.

Do outro lado do Itacaiúnas, onde a ponte começou a ser erguida, encontra-se a Fazenda Volta Grande, cujo proprietário chama-se Zezito, posicionada não muito distante da Vila Maranhense, próximo a estrada de Ferro Carajás.

Na realidade, a ousada obra está encoberta do mais circunscrito mistério.

O nome de seu dono, desconhecido.

Da mesma forma, se desconhece a verdadeira intenção de uma obra que irá consumir R$ 10 milhões.

O blog alugou um barco pequeno e foi até o local, subindo o Itacaiúnas. Nas conversas com ribeirinhos e donos de ´rabetas´ (pequenas canoas motorizadas) ancoradas nas ribanceiras do rio, ouviu relatos iguais de que os serviços da ponte teriam começado há dois meses.

Tudo na surdina.

No canteiro de obra, a presença do repórter causou constrangimentos. Ninguém quis conversar, apenas o engenheiro dispôs liberar algumas informações técnicas.

Talvez raras pessoas saibam da existência da obra.

A partir desta quinta-feira, o blog  passa a investigar  se a obra recebeu licença dos órgãos afins, inclusive se há concessão de licença ambiental.

O pôster suspeita de que a ponte pode estar sendo construída para interligar loteamentos, a serem erguidos dos dois lados do rio.

O próprio Loteamento Mirante do Vale poderia estar envolvido numa parceria com o suposto dono da ponte já que no seqüenciamento da área urbanizada , dezesseis alqueires de terreno foram adquiridos recentemente.

Por ser privada, a obra pode estar sendo levantada obedecendo interesses exclusivamente particulares.

Por exemplo: depois de pronta, a ponte atenderá a população de Marabá? Para que isso ocorra, haverá cobrança de algum pedágio?

Conclusão óbvia: investidor algum torra dinheiro ou rasga papel moeda.

Ao contrário do que disse ao pôster o engenheiro entrevistado, certamente a ponte não está sendo construída para “facilitar a vida do fazendeiro”, encurtando caminho.

No atual estágio em que se encontra o trânsito de Marabá, construir pontes sobre o Itacaiunas, é uma necessidade. Há estudos da prefeitura mostrando a carência de pelo menos mais duas pontes sobre o rio, ligando os núcleos Nova Marabá e Cidade Nova.

Agora, da forma como está sendo edificada a ponte na fazenda Volta Grande, há muitas perguntas no ar.

A ponte é para ser aberta ao tráfego em dezembro.

 

A seguir, pela primeira vez, imagens da ponte misteriosa em fase de construção.

 

 

Cabeça da ponte em construção ao lado direito do rio, na sede da fazenda Volta Grande.

 

Operários trabalham em balsa, no meio do Itacaiúnas, fazendo sondagens.

 

Lado esquerdo do rio, gabarito da obra em ascenção na área do Loteamento Mirante do Vale.

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagens acima, detalhes da construção.

 

Sede da fazenda Volta Grande omde a ponte está sendo construída

 

 

Em dois clics, o repórter conversa com operário da obra e seguindo numa embarcação para "desbravar" a misteriosa ponte
Autor 

20 Comentários

  1. Gajego Menezes

    5 de agosto de 2011 - 10:08
    Reply

    Após ler a matéria tive duas sensações, primeiro indignação pelo fato lamentável. Segundo foi contentamento pelo excelente trabalho investigativo, é a primeira vez que leio o blog e vou passar a divulgá-lo.

  2. RAIMUNDO

    31 de julho de 2011 - 12:05
    Reply

    Caros amigos isso ai é uma prova do descaso do estado do Pará se um particular não fazer essa ponte não sai mesmo. por isso que temos que votar a favor da divisão do estado.

  3. Juliano Bezerra

    31 de julho de 2011 - 4:29
    Reply

    Continuação…
    Pois falar mal e muito fácil, agora acreditar que mais uma ponte vai ser excelente pra gente, vocês ainda não pensaram por aí.

  4. Juliano Bezerra

    31 de julho de 2011 - 4:19
    Reply

    Muito bom seu trabalho hiroshi, toda a população de Marabá sabe o caos que esta aquela única ponte para o acesso ali para o aeroporto residências e comércio das redondezas, hoje pela manha fiquei quase 45 min no engarrafamento porque houve um acidente na ponte, e a única opção de travessia de todos e a ponte grande do itacaiunas, nos temos que torcer para que saia uma ponte para desafogar esse trânsito, se ela for particular, publica isso para nos não faz menor diferença o importante e que enquanto os órgãos públicos não dão créditos para nossa cidade, tem grupos de empresários com interesse de desenvolver nossa cidade e criar novos meios para melhoria da qualidade de vida, porque sinceramente ninguém agüenta conviver com essa água de esgoto escorrento pelas ruas, trazendo doenças gratuitas pra todos, eu só não concordo nas criticas destrutivas

  5. brenoflamengo

    29 de julho de 2011 - 21:22
    Reply

    Senhores, como vi na matéria, o empreendimento vai ser bem vindo a Marabá por interligar o núcleo Nova Marabá e Cidade Nova (desafogando o transito da cidade). Se o cara comprou isso ou aquilo, é problema dele e de quem vendeu. Se ele fizer a ponte, ele não poderá cobrar pedágio, como rege a lei, ao contrário do que diz o bloguerio. Sou marabaense e desde criança falam que existem projeto para outra ponte sobre o rio itacaiúnas, contudo, o poder público nunca concretizou tal projeto. Agora, alguém disposto a fazer, porquê não aceitar? Se o cara vai vender lotes ou montar shoppins centers, ele está fazendo conforme o manual do empresário. Senhores, espero que esse empresário se sensibilize e invista em coisas sociais, pois aqui é muuuiiito carente.

  6. Hudson Jr

    29 de julho de 2011 - 19:54
    Reply

    Luiz Cavalcante, meu caro bem colocado. Resta da os parabéns ao competente Hiroshi. O fato é que to tão desacreditado com esses órgãos que já acho tudo normal.. Afinal Ricardo teixeira, quadrilha do min. dos transportes fazem oque querem e ninguém toma atitude…

  7. Ribamar Ribeiro

    29 de julho de 2011 - 18:59
    Reply

    Brilhante matéria, parabéns!!

    Aqui não é casa de mãe joana!!!

    • Hiroshi Bogéa

      29 de julho de 2011 - 19:50
      Reply

      Obrigado, Ribamar.

  8. Luis Sergio Anders Cavalcante

    29 de julho de 2011 - 14:11
    Reply

    Ô Hudson Junior, não se trata de achar bom ou ruim, e sim de realizar os trâmites legais, que assim dita o bom-senso, em se tratando de pequenas, médias ou grandes construções. O detalhe, é que passa uma impressão quase palpável de desconhecimento por parte dos órgãos que deveriam (sic) estar atentos para esse tipo de fato, ou, se sabia, omitiu-se propositalmente. Em 29.07.11, Marabá-PA.

  9. Evandro Jr

    29 de julho de 2011 - 13:45
    Reply

    O futuro de marabá é incerto. Certamente depende da Dilma.

  10. ezequias

    29 de julho de 2011 - 9:52
    Reply

    a bolha dos loteamentos em marabá ainda estar em proceso de crescimento se a alpa sair ela voa , se nao sair , meu amigo sai de baixo que o estouro vai ser muito grande.
    parabens hiroschi,blog é pra manter a gente informado , para mostrar o que (grande )midia de marabá nao quer mostrar.

  11. Hudson Jr

    28 de julho de 2011 - 19:24
    Reply

    Ah… e esse cara deve saber de alguma coisa que não sei pra ta torrando esse dinheiro todo aqui… Se você passear pelos loteamentos de Parauapebas vai ver que estão com diversas construções.. tem loteamente que tá com mais de 60% construido.. aqui em Marabá o Novo Progresso não deve ter 50 casas, o Jardim Imperial que foi um dos primeiros deve ter 1, Cidade Jardim nao deve ter 10, Castanheira, Morumbi, Mirante do vale e cia ltda nadica de nada.. ou seja… quem tá mais acreditando em Marabá é o povo de fora.

  12. Hudson Jr

    28 de julho de 2011 - 19:21
    Reply

    Se construirem em Marabá esse tanto de coisa que falam que vão construir vai bombar a cidade viu… tem uns 3 anos que escuto que vão construir isso ou aquilo.. e nada se vê. quanto a área da Barro Bom ouvi dizer que quem tinha comprado era o grupo Bretas(supermercado) que é de MG então provavelmente é o mesmo que o andré ribeiro mencionou..(coisa de 20milhas). Mas tambem ja ouvi que era o Mateus..

    e quanto a ponte não sei pq tem gente que acha ruim.. ta a maior briga pra não construir a ponte, se o cara vai construir então melhor ainda.. esperto ele que vai jogar a ponte pelo seu loteamento.. pois todo fluxo de carretas vai passar por lá.. agora quem não vai ser esperto é quem comprar lote por essas ruas pra fazer residência. Já comercial vai bombar..

  13. Andre Ribeiro

    28 de julho de 2011 - 18:23
    Reply

    Hiroshi,

    Pelo que sei o empresario ou bilionario é de minas gerais e vendeu um grande grupo atacadista por mais de 2 bilhoes de reais e fez investimentos de quase 100 milhoes de reais em maraba, nos seguintes locais:
    1. Fazenda do Sr Zezito – finalidade: construir mais de 25.000 lotes e para isto estava no projeto construir esta ponte ou seja ele aposta na ALPA e no loteamento proximo dela por onde haverá interligação dos CDI´s.
    2. Area em frente ao aeroporto (Ceramica Barro Bom)- finalidade: construir um shopping de 2 pavimentos. Já pensou um shopping proximo ou em frente a um aeroporto e o unico da cidade nova proximo da ALPA e tudo.
    3. Uma Area na BR de proriedade de um dono de café e que por isto tem seu apelido. finalidade: imobiliaria (predio comercial/residencial)
    4. Area atras do Predio Amazon Center: finalidade – predio comercial/residencial/hipermercado.

    Quanto a ponte, isto já estava nos planos deste investidor de MG.
    Agora quanto as licenças, sejam do meio ambiente, prefeitura e outros orgaos eu nao sei. Só sei que este cara não é otario como estes empresarios que se acham inteligentes aqui de marabá.

    Acho que o cara sabe o que ta fazendo. Esta noticia já sabia há 4 meses pois foi contada por um sr do ramo imobiliario que intermediou a negociação.

    Quanto aos valores, acho que os vendedores estao satisfeitos.

    Parabens a este investidor.

  14. Luis Sergio Anders Cavalcante

    28 de julho de 2011 - 16:17
    Reply

    Hiro, parabens pela “denuncia”. Resta agora PMM instar o proprietario da obra e enquadra-lo, pois, ao que parece, não têm licença para a construção. Em 28.07.11, Marabá-PA.

  15. anônimo

    28 de julho de 2011 - 16:06
    Reply

    Isso é permitido? Isso é no mínimo assustador… Como que alguém constrói uma ponte desse porte e nenhum órgão fiscalizador tem conhecimento?? Marabá é terra de ninguém mesmo? Que trágico isso. Isso é matéria para ir pro Fantástico; Ponte de concreto é construída sem quem nenhuma autoridade tenha conhecimento. rs

  16. Gilberto leite

    28 de julho de 2011 - 14:22
    Reply

    Hiroshi que beleza, grande empreendedor, por ali com a construção anel viário e o braço da ferrovia naturalmente a expansão de Marába se dará por aquela região, qto as suas indagações elas são pertinentes, vai aqui uma dica…pesquise Goiania…..Abs

  17. Claudio

    28 de julho de 2011 - 11:44
    Reply

    meu caro Hiroshi,esta ponte e particular e esta sendo feita por um empresario chamado Rodrigo(cap do grupo Disbrava)ele andou comprando varias areas pela regiao para fazer loteamento.

  18. João Dias

    28 de julho de 2011 - 9:18
    Reply

    Caro HB,

    Vossa Senhoria, no meu entendimento, é e será, a única obra prima que ainda temos de valor na minha saudosa MARABÁ. Parabéns pelo trabalho maravilhoso forever!

    João Dias Aragão
    sds. marabaenses.

    • Hiroshi Bogéa

      28 de julho de 2011 - 9:19
      Reply

      Agradeço, João Dias. E sucesso para você aí no Rio de Janeiro, tanto tempo distante da terra.

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *