Hiroshi Bogéa On line

Índios e madeireiros em “pé de guerra” em Paragominas

Policiais federais já estão em Paragominas  com missão de evitar um conflito  entre indígenas e madeireiros na aldeia Tekohaw.

O MPF (Ministério Público Federal) do Pará também acompanha a situação.

O local para onde as equipes da PF se dirigiram na manhã desta segunda-feira, 24, fica distante a cerca de 90 quilômetros da sede do município.

Policiais militares tentam localizar um madeireiro conhecido como “Carapã”, que estaria arregimentando outros comerciantes do setor no intuito de invadir a terra indígena, para reaver  o maquinário apreendido pelos indígenas devido à invasão do território.

Recentemente, teria ocorrido uma reunião entre Ideflor, Prefeitura de Paragominas, lideranças indígenas e representantes de madeireiras, onde foram estabelecidas medidas à preservação da área indígena.

Contudo, a Polícia Militar não recebeu qualquer convite e assim desconhece as tratativas firmadas, mas está adotando ações preventivas da competência dela.

A Secretaria de Estado de  Segurança Pública (Segup), em atendimento ao pedido de apoio da Polícia Federal (PF), que por prerrogativa está atuando na mediação da situação na aldeia Tekohaw, informou por meio de nota que enviou, através da Polícia Militar do Pará, um grupo de 15 agentes para prestar o apoio.

Com chegada prevista para às 17h, o grupo do Comando Regional de Policiamento VI – Paragominas, e federais, além da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS), seguiu com destino à terra indígena Tekohaw, na região do Alto Guamá, distante cerca de 170 quilômetros da sede da cidade.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *