Hiroshi Bogéa On line

Em visita a ponte Rio Moju, Pádua Andrade fala sobre o cronograma da obra

Com toda a estrutura do tabuleiro e cabos estais do novo vão central da ponte no canteiro de obras às margens do Rio Moju, a Secretaria de Estado de Transportes (Setran) entra na reta final para religação da Alça Viária até o próximo dia 15 de dezembro. Partes da ponte foram fabricadas em São Paulo e Fortaleza e chegaram ao canteiro de obras no prazo estipulado em contrato e dentro das especificações técnicas exigidas e estão sendo montados no local da obra .

 

Neste sábado, 9, o titular da Setran Pádua Andrade, fez uma vistoria ao canteiro de obra, onde os operários trabalham na pré-concretagem da laje, que contém 360 unidades, das quais mais de 200 já foram concretada, em seguida serão montadas sobre a grelha de aço (parte metálica) e içadas pra posição final de formação do tabuleiro quando receberão a concretagem final. Todas as peças juntas formarão a pista de rolamento que receberá em seguida a pavimentação com asfalto.

“Estamos entrando na reta final da obra, e vamos continuar trabalhando à todo vapor para cumprir o cronograma, mas com segurança, responsabilidade e principalmente com serviço de qualidade para entregar para a população uma ponte moderna, segura e com proteção de defensas, que impeçam que novos acidentes possam ocorrer”, pontuou Pádua durante a vistoria.

Enquanto uma parte dos operários trabalha na concretagem às margens do Rio Moju, outra equipe atua na finalização do mastro central, que neste final de semana contabilizará quase 85 metros, dos 92 metros acima do bloco que servirão de apoio para 268 metros de ponte, ambos suportados por 40 cabos-estais, distantes 12 metros um do outro. O ritmo é acelerado, mas todas as operações ocorrem dentro das normas de segurança e a obra completa cerca de 200 dias sem que nenhum acidente de trabalho tenha ocorrido, apesar de haver no mesmo local uma travessia por balsa, navegação de embarcações de todos os portes e ainda o ir e vir dos ribeirinhos que moram às margens dos rios da região.

A ponte sobre o Rio Moju faz parte do complexo de quatro pontes da Alça Viária (Guamá, Acará, Moju e Moju Cidades) na PA-483, que tem mais de 70 quilômetros de extensão – e é a principal artéria rodoviária do Norte do Brasil, integrando a Região Metropolitana de Belém ao sul e sudeste do Pará.

Durante a vistoria, Pádua Andrade também acompanhou o andamento da obra de reforma e manutenção das pontes Rio Acará e Rio Guamá, do complexo da Alça Viária.

A estrutura de rampas flutuantes instaladas pela Secretaria de Estado de Transportes (Setran) para travessia de veículos por balsas na área da ponte Rio Moju será transformada em um porto público, após a reabertura da Alça Viária no próximo dia 15 de dezembro.
Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *