Desembargador José de Alencar volta ao TRT8 para prestar serviço voluntário

Na tarde da última terça-feira (13) o desembargador do trabalho aposentado, José Maria ​Quadros de Alencar, assinou o seu termo de adesão ao ​programa de voluntariado do TRT8. A cerimônia foi presidida pela presidente d​a instituição, desembargadora Suzy Koury e ​contou ​com a presença dos desembargadores Sérgio Rocha, Rosita Nassar, Marcus Losada Maia e Ida Selene Braga componentes da 1ª Turma, da qual o desembargador Alencar fazia parte​, antes da aposentadoria​.

Além ​de seus colegas de bancada, desembargador Alencar também contou com a presença da procuradora do trabalho​,​ Gisele Góes​,​ e de servidores do Tribunal.

O desembargador compartilhou as alegrias de voltar ao tribunal como voluntário na gestão da presidente Suzy.

“Eu tenho muita alegria em voltar aqui hoje por uma dupla pertinência. Eu agora sou um aposentado, mas não sou inativo, e agora passo a ser ativo como​ prestador de serviço voluntário para o Tribunal​,​ e isso é motivo de alegria. A segunda alegria é fazer isso na gestão da Suzy, claro que não precisa dar muita explicação, eu faço questão de dizer para todos que sou devedor não só da amizade, da estima dela e de sua família […]​”​

Além disso destacou a felicidade de dar continuidade a trabalhos que já desenvolvia antes de sua aposentadoria.

“A segunda coisa que me dá alegria é o fato de atuar em uma área, continuando o patrocínio que eu vinha fazendo nos dois últimos anos nas minhas atividades aqui no Tribunal, em que o Tribunal mais uma vez é vanguarda​,​ e a vanguarda assim com muita tranquilidade e sem muito espalhafato, praticamente só nós aqui sabemos que o tribunal é o único de 24 tribunais que aplicou corretamente as duas resoluções e usou aquilo que lhe foi doado pelo CSJT”, comentou.

A presidente destacou a tranquilidade que lhe traz poder contar com o desembargador Alencar​,​ mesmo após a sua aposentadoria.

“Só uma pessoa como Alencar faria isso, esse espírito republicano, espírito público, no nível de aposentar-se e, ainda assim, aceitar se dedicar ao trabalho aqui nesta justiça especializada. Não é uma coisa simples, é uma coisa complexa, e ​,​como ele disse, nós estamos construindo de forma inicial​​ a política de gestão de riscos, por nós já efetivada e em sua fase de implantação​, sendo a primeira em todos os regionais. […] Pra mim é uma alegria muito grande que ele continue tomando conta disso na minha gestão porque eu fico tranquila que isso andará, porque sem ele acho que iríamos retroceder. Estou muito satisfeita, pra mim é motivo de muito orgulho.”

O desembargador retornou ao Tribunal para dar apoio ao andamento das comissões da política de gestão de riscos e de política de segurança institucional​,​ que eram patrocinadas por ele ​antes da aposentadoria. (ASCOM TRT-8)