Hiroshi Bogéa On line

Cipó no lombo de quem mandou dar

Geraldo Vandré compôs “Aroeira” contando a história de um futuro que esperava o país, vaticinando que todos os ditadores do regime militar pagariam alta conta. Quase todos pagaram. Em homenagem ao povo da Venezuela, esse vídeo histórico resgata também a imagem lúcida de Vandré que depois de tanto “pau-de-arara” nunca mais foi Vandré. Virou até advogado.

Vim de longe vou mais longe

Quem tem fé vai me esperar

Escrevendo numa conta

Pra junto a gente cobrar

No dia que já vem vindo

Que esse mundo vai virar

Noite e dia vem de longe

Branco e preto a trabalhar

E o dono senhor de tudo

Sentado mandando dar

E a gente fazendo conta

Pro dia que vai chegar

Marinheiro, marinheiro

Quero ver você no mar

Eu também sou marinheiro

Eu também sei governar

Madeira de dar em doido

Vai descer até quebrar

É a volta do cipó de aroeira

No lombo de quem mandou dar

Post de 

1 Comentário

  1. Quaradouro

    28 de maio de 2007 - 13:43 - 13:43
    Reply

    Bons tempos, hein?! Mas, não nos enredemos em nostalgias sem a presença de louras geladas (Faz 5 anos que não bebemos, meu rapaz! a última vez foi na sua casa, no seu aniversário).
    pau-de-arara não muda ideologia: veja o exemplo do saudoso Paulo Fontelles, que depois de tudo tornou-se mais aguerrido. Só caiu sob as balas de um pistoleiro, cujo mandante até hoje se ignora por falta de interesse das “autoridades competentes” em apurar seu assassinato (terá sido mesmo isso?)
    Quando ao Vandré ter ciscado pra frente e virado “até advogado”, peralá! nem sempre a advocacia é refúgio de cagões.
    P.S. O professor chega hoje, né isso?, já mandei passar o paletó. Me liga avisando (9139.2309)

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *