Avançam investigações sobre chacinas ocorridas em Belém

Quem informa é o repórter  Walrimar Santos:

As investigações sobre as 25 mortes registradas, em 20 de janeiro deste ano, após a morte de um soldado da Polícia Militar, em Belém, e de dois falecimentos posteriores de vítimas baleadas no dia, estão avançando.

Parte das perícias de local de crime e de necropsia (exame dos corpos) deve ser encaminhada à Polícia Civil nos próximos dias.

As informações dos laudos ficarão restritas como parte das investigações.

Ao todo, nove delegados presidem os inquéritos na Divisão de Homicídios, em Belém.

A equipe policial faz trabalho de campo e coleta de imagens de locais de crime.

Durante a investigação, poucas imagens foram coletadas.

“Temos outras técnicas de investigação que estão sendo aplicadas no trabalho de campo”, explica o delegado Silvio Maués, diretor de Polícia Especializada. “A partir do momento em que as perícias estiverem disponíveis, as informações serão confrontadas para se ter um cenário montado nas investigações que apontem se as mortes estão relacionadas e quais são as motivações possíveis para os crimes”.

As investigações de cada caso foram separadas em três possibilidades.

“A primeira se trata dos eventos que poderiam gerar uma reação por um sentimento de vingança envolvendo agentes públicos ou pessoas associadas a eles. A segunda possibilidade é de ações oportunistas cometidas por pessoas que se aproveitam do momento para cometer crimes, e a terceira hipótese é de mortes eventuais, ou seja, que aconteceriam independentemente da ocorrência da morte do policial militar”, afirma Silvio Maués.

Dessa forma, o universo de mortes é minimizado pelas características dos crimes para se dar encaminhamento mais prático ao trabalho investigativo.

O delegado ressalta que em uma investigação dessa grandiosidade não há como se estabelecer previamente prazos para a conclusão dos inquéritos.

“Temos muitos aspectos que não dependem somente da investigação. Dependem da perícia, do Judiciário, do Ministério Público, que são órgãos que atuam dentro do Sistema de Justiça”, salienta.

Sobre a morte do policial militar, o delegado destaca que as investigações já avançaram bastante e a previsão é de conclusão do inquérito ainda este mês.