Hiroshi Bogéa On line

Atentado contra Jeso é inaceitável

O blogger lamenta e condena com todo vigor o atentado contra o jornalista Jeso Carneiro, que teve parte de sua residencia e de sua família incendiada por integrantes de grupo criminoso certamente a mando de algum político mocorongo. É alarmante o estado de descontrole a que chegou a criminalidade em nosso país e chocante que ela atinja, de forma terrorista, um profissional da imprensa que trabalha, com destemor e determinação, exatamente com o objetivo de denunciá-la.

Este poster presta sua inteira solidariedade a Jeso e seus familiares. Ao mesmo tempo, exige das autoridades imediata apuração do bárbaro atentado, identificação dos culpados e seu encaminhamento à Justiça.

Todo atentado contra a vida humana é revoltante e deplorável. Mais ainda quando se busca, por meio dele, atingir a liberdade de expressão dos meios de comunicação, o livre exercício de seus profissionais de informarem à sociedade e o direito desta de ser informada. O covarde crime contra o blogueiro mocorongo atinge a todos os cidadãos de bem, em favor de quem ele trabalha procurando informar com imparcialidade e denunciando os desmandos praticados pelos políticos corruptos de plantão.

Os orgãos de segurança pública, MP e o Judiciário tem o dever de apurar, à exaustão, esse fato que só enlameia a imagem cada vez mais chamuscada do Estado do Pará, descobrindo autores e mandantes do atentado.

O blogger acompanhará com especial rigor a apuração do caso, na convicção de que, em benefício da sociedade e da liberdade de informação, é imprescindível seu completo e rápido esclarecimento.

—————–

atualização às 13:00

Lunfa-lunfa
Está no site do Jeso:

O blog detectou movimentação no processo n° 200510022673, em tramitação na 8ª Vara Civel de Santarém.
A peça jurídica, uma ação civil de improbidade administrativa, da lavra do MP (Ministério Público) do Pará, via promotor público Raimundo Nonato Brasil, não é uma qualquer. É VIP.
Tem como réus o ex-prefeito e atual candidato a prefeito pelo DEM, Lira Maia, e o ex-secretário municipal João Clóvis Lisboa (Finanças). Os dois são acusados de causar prejuízo aos cofres públicos de Santarém por aplicação de cerca de R$ 2 milhões do extinto IPMS (Instituto de Previdência do Município de Santarém) no Banco Santos.
A ação foi acatada pela Justiça. Os dois acusados foram notificados a apresentar defesa.

Para quem não sabe, Lira Maia é aquele um quem pediu à Justiça que proibisse o Jeso Carneiro de citá-lo em seu site, diante do turbilhão de denúncias que pesam contra ele.

Uma semana depois de outra instância do Judiciário ter restabelecido o direito do jornalista exercer com soberania a liberdade de expressao no mesmo site, atearam fogo à casa de Jeso.

Estrita coincidência?

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *