Hiroshi Bogéa On line

30 lideranças de duas facções criminosas são transferidas do Pará para presídios federais

Trinta presos do sistema penal paraense foram  transferidos no final da manhã desta sexta-feira, 21, para presídios federais situados em outros estados da Federação.

Os apenados foram retirados do complexo de Americano, em Santa Izabel do Pará, e são apontados como lideranças de duas grandes facções criminosas que atuam dentro das prisões paraenses – e que teriam já articulado ameaças a agentes públicos de segurança e planejado ataques, a exemplo do que já aconteceu em Fortaleza (CE), informou o titular da Susipe, advogado Jarbas Vasconcelos.

“Nós os retiramos de uma unidade prisional para outra, isolando-os em outras unidades para contê-los. Consideramos assim ter frustrado um ataque pensado pelo Comando Vermelho, que colocaria em pânico nossa população em todo o Estado do Pará, como ficou em janeiro a população do Ceará”, confirmou Jarbas Vasconcelos.

A Susipe confirmou também que, segundo apurou a inteligência que coordenou a operação de hoje, as lideranças ordenavam execuções de policiais militares e também de civis no Pará.

As facções também planejavam ataques a presídios e fugas em massa em todo o Estado.

A transferência iniciou ainda nas primeiras horas da madrugada desta sexta-feira (21) e envolve vários órgãos do sistema de segurança pública do Pará.

Foram realizadas revistas entre os presos e as unidades prisionais CRPP I e CRPP II foram ocupadas por forças policiais desde a madrugada.

A ação ocorre logo depois da descoberta, na última segunda-feira (17), de um túnel de 30 metros e sete metros de profundidade que daria vazão à fuga de cerca de 400 presos, em uma ação de motim prevista para esta quinta-feira (20), feriado de Corpus Christi.

A fuga em massa foi frustrada pela Susipe.  Às cinco da manhã, agentes de segurança pública já tinham ocupado as casas penais e os presos, algemados, começaram a ser transferidos. Eles passavam por revistas eletrônicas.

Post de 

0 Comentários

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *